Victor Luiz Konecsni, Psicólogo(a), Caieiras

O que é TOC?

O TOC ou Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma condição que faz com que o individuo sofra com pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos, sentindo a necessidade de repeti-los diversas vezes para se sentir satisfeito, como por exemplo: lavar as mãos diversas vezes com medo de se contaminar, ou pegar alguma doença, ou ir diversas vezes verificar se trancou a porta por medo de ter deixado aberta e ser assaltado.

O problema é que essa satisfação é momentânea e depois de um tempo a necessidade de realizar esse comportamento compulsivo reaparece.

Existem diversos tipos de comportamentos compulsivos, como por exemplo deixar certos objetos alinhados, ou seja, talheres, copos, livros, canetas, escovar os dentes 20 vezes do lado direito, 20 vezes do lado esquerdo, entre outros.

Esses e outros comportamentos causam muito estresse na vida da pessoa, pois atrapalham o desempenho profissional, social, afetivo, o que geram sentimentos de tristeza, agonia e frustração.

Eles são automáticos, ou seja podem aparecer em qualquer hora sem que o individuo tenha consciência.

Como diagnosticar o TOC?

Para saber a causa que leva a pessoa a desenvolver o TOC é necessário estudar diversos aspectos da vida, como o social, familiar, cultural e comportamental.

Uma das formas de descobrir se a pessoa possui esse transtorno é através de avaliação psicológica. Será necessário que o psicólogo faça uma análise do histórico de vida do paciente, buscando estudar as áreas de sua vida através de uma entrevista, podendo assim diagnosticar o TOC.

Existe a necessidade de tomar algum remédio?

Os remédios podem ajudar com diversos transtornos, mas com o TOC normalmente não existe essa necessidade, pois através da terapia se conseguem muitos resultados positivos no tratamento deste transtorno.

Como lidar com o TOC

É importante trabalhar os pensamentos e comportamentos de uma forma funcional, fazendo com que seja possível ressignificar os mesmo e tornando o individuo mais consciente, para que aos poucos o comportamento possa ir deixando de estar associado à compulsão.

Quanto mais consciente o individuo for sobre quais pensamentos são funcionais e quais não são, será mais fácil de trabalhar essas questões e torná-las mais “saudáveis”.

Por isso é muito importante procurar auxilio na psicoterapia, para que seja possível trabalhar em cima destas e de outras questões que podem surgir no dia a dia.

Psicólogo Victor Luiz Konecsni Gonçalves

CRP: 06/163802

Entre em contato e agende uma sessão.
Instagram: @victorpsicologotcc