Elza Barros, Psicólogo(a), Pelotas

Ciúme - é uma prova de amor?

O sentimento de ciúme se faz presente em todas as relações de casais.Tanto sua ausência quanto sua intensidade aumentadas são um problema.Sua presença,em doses moderadas,é testemunho de afeto de duas pessoas,é uma espécie de cola que fortalece a relação;"EU amo e não quero perder o amado", e por outro lado:"Sou querido, e o outro me valoriza,não quer me perder".

Temos assistido muitos casos em que o ciúme é o fósforo aceso na pólvora, ou seja, provoca reações inesperadas e de total descontrole.Fatores culturais fazem com que acreditemos que todo o ciúme é uma prova de amor e que pequenos sacrifícios,como deixar de ir a determinados lugares,ou trocar de roupa para que a pessoa não se chateie,são bem-vindos e são aquele tempero da relação.A grande questão é que os pequenos sacrifícios transformam-se em aprisionamento à medida que o tempo passa.Estar com o outro começa,então,a não ter tanto sentido,perde a graça,e, certamente mexe com as estruturas de qualquer relacionamento.

É um sentimento que envolve o medo de perder o amor da pessoa amada e está diretamente relacionado à falta de confiança no outro e, muitos mais, em si próprio.Quando se torna exagerado,consideramos que se transforma numa doença,chegando a pensamentos obsessivos..A complexidade do ciúme é grande pois envolve emoções,comportamentos e reações físicas.

Muitas vezes, a pessoa passa a ter uma compulsão em verificar suas dúvidas e, com isso, começa a invadir a privacidade do outro,abrindo correspondência,mexendo nos bolsos,no celular,nas redes sociais e tantas outras ações extremistas.Parecem atitudes bobas,mas não servem em nada para aliviar o ciúme,e sim, aumentam a sensação de desconforto.

Quem passa por essa situação deve conversar bastante sobre o assunto com o seu par,procurando, juntos,as alternativas que permitam que o verdadeiro amor,baseado na confiança e na cumplicidade,possa crescer entre o casal,bem como buscar ajuda especializada quando perceber que a situação tomou uma proporção maior do que aquela que se possa administrar sozinha.

O ciúme torna-se patológico na medida em que um,ou os dois,do par tem conflitos não resolvidos.Portanto,o ciúme normal adoece contaminado pela fixação nos conflitos edípicos não integrados e superados.E essa patologia se estende desde as queixas expressas no ciúme projetado e delirante até as atuações extremas,os crimes passionais.