Perguntado em 29/04/2021

Angústia: quanto tempo dura o tratamento?

Vinícius Barbosa Carlos de Sousa, Psicólogo(a), Belo Horizonte
Bárbara Luize, Psicólogo(a), Florianópolis
2 respostas

Não há previsibilidade cronológica para tratamento de formas de sofrimento psíquico. Cada indivíduo responde de maneira singular ao tratamento. Questionar-se em seus sintomas implica na (re)construção da história de como eles chegaram a se constituir. E, fazer isso, requer um tempo próprio, particular à cada caso. O espaço da psicoterapia é um espaço liberto da imposição do cálculo otimizador do tempo cronológico. Isso porque vai privilegiar o tempo do discurso subjetivo, que pode ser repleto de vai-e-vem, de obstáculos e resistências internas. Apesar de trazer desconforto e inquietação, a angústia é, entre outras coisas, um afeto que sinalizador de que o indivíduo está próximo de algo em si que não consegue encontrar conformidade com o ritmo das exigências e ideais da realidade que vive. Por excelência, a angústia é afeto que convida o indivíduo a dedicar-se a explorar seus anseios mais íntimos e a conhecer a si mesmo.

Não tem como delimitar o tempo que a pessoa ira sentir a angústia, pois isso depende de vários fatores como a situação que a pessoa esta vivenciando e como a pessoa se sente diante disso.